18/01/2009

...Erro meu...

Assalta-me a ideia essa tua marca
Como em relevo no meu existir
Não sei porquê, não quero que saia
Só anseio pra que não doa...

Quero-te em mim sim, mas não assim
Quero-te sem lágrimas e sem culpa
Sem isso que parece desespero
Sem isso a que chamam de medo

Não peço mais elasticidade ao meu corpo
Nem mais orientação aos meus passos
Mas falta-me esse espaço entre mim e ti
Desloca-se o meu coração entre fora e dentro

E ando e desando sem sair do mesmo
Sem poder correr sem medo de se soltar
Esse laço que deslaça sempre que te afastas
E repetes que estás mais perto que nunca

Factos reais não fazem a verdade
Amar-te... Sentir-me amada
Não chegam para fazer-me feliz
Mas descansa... ajudam muito...!!!

Meu erro é ser tão utópica...
Meu erro é querer demais...
O teu erro é gostar de mim...
O teu erro é esperar por mim...!

Malu
Alcobaça 18 de Janeiro de 2009

4 comentários:

Anónimo disse...

MARTA...um erro pode ser um insignificante pormenor.
concordo com tudo o que escreves...sempre o fiz,respeito muito quem gosta de escrever...e sei que amas o teu escrever...mas a alma tem destes misterios.
parece que percebi esta verdade que chamas com tanta ambicao .HAVERA QUEM SORRIA E SE AFASTE DEVAGAR? claro que sim...

Joelmir Ramos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joelmir Ramos disse...

Coincidentemente fiz um blog recentemente que tem uma estrutura muito parecida com a do seu.
Encontrei esse blog buscando uma foto de ponte para sintetizar a ideia da minha postagem mais recente.
Achei essa postagem sua muito intrigante, profunda e misteriosa. Em suma, eu adorei.
Infelismente ainda não li as outras para ter uma visão completa dos ideais que pretende trasmitir, mas assim que tiver tempo irei le-las e deixarei um outro comentário para elogiar os seus textos com a convicção que eles merecem.
Vou visitar esse blog sempre que puder.
Um grande abraço
Joelmir

Mitsotaki disse...

Um dia poderás correr sem medo...

Um dia poderás gritar ao mundo o que vai dentro de ti...