09/04/2006

…Nascida para amar…

Nascida para amar
A ti, a ele e, a outro alguém
Vencida por tanto chorar
Sofrida por tanto rir
Querida, por tão pouco querer
Quem um dia, me fez tanto sonhar…
Depois temida, por tanto prometer
A quem do sonho, me fez acordar!

Que importa, ser feliz, ou infeliz, agora…
Fechada e trancada a porta…lá atrás…?!
Já não me conforta, a ideia de voltar
Para o presente, para este mundo…
Quando se torna indiferente, e ausente, o amor.

Aquela criança já cresceu,
E ainda não viveu…

Nascida para amar
A ti, a ele, e a outro alguém,
Essa mulher, sou eu…
Aquela, a que no dia em que nasceu, morreu…
Para nunca na vida chegar…a amar, ninguém!

Marta Luís
07-09-1994

4 comentários:

Anónimo disse...

Lindos , simplesmente lindos os teus poemas

Anónimo disse...

E para quando mais poemas??

Anónimo disse...

a lei da vida,melhor o destino- une e separa as pessoas mas nenhuma é como grande amor que faça esquecer uma pessoa que por algum motivo um dia nos fizeram felizes ou infelizes-zeferino tavares-passe bém

Marta Luis disse...

concordo zefrino... e pensar que escrevi isto há 15 anos atrás, e continua actual... deve ser mesmo o destino, a minha vida... bj