07/05/2009

...Sigo...

Foto retirada da net
Palavras retiradas do meu estado de espírito:

Que viagem tão cansativa se torna o hoje quando o ontem foi uma paragem lotada, o amanhã continua um trajecto incerto...
Sigo apertada ou aos solavancos num autocarro sem campainha, sem janelas, sem retrovisor nem laterais, sem cortinas ou luz, nem médios ou máximos, em piloto automático, os passageiros calados ou inexistentes, o assento sem cinto, um depósito roto... e nem durmo, nem aprecio a paisagem!

Um dia li algures:"sou uma nuvem perdida na solidão de um céu onde as estrelas se aborrecem"... e ali me identifiquei... Mas não fiquei... por mais que parecesse o meu lugar comum, não me segurei, bem tentei, mas não havia lugar pra mim...

Sempre que isto acontece, morro ou vivo o luto, e nunca sei, quando volto, quando ressuscito...

Ás vezes sou o sol que brilha em qualquer hemisfério...a estrela mais próxima de mim mesma, que de vida e calor faz pulsar meu próprio coração... e consigo aquecer as mãos do outro, e também o seu coração...

Ás vezes sou o gelo espesso, que não corta nem meus pés, porque não consigo patinar sobre esse chão que me foge esguio e me faz cair, mas barra, fere e esvazia tudo e todos em meu redor...

Ás vezes saio de mim, porque dói demais estar em mim assim...
Ás vezes procuro-me ou encontro-me, fora ou dentro, perto ou longe, rebusco-me, restauro-me e descanso...
Ás vezes consigo...
Outras vezes sigo...

Não é a viagem que me cansa... é apenas o facto de viajar sempre sozinha...!

2 comentários:

Anónimo disse...

você escreveu "sou uma nuvem perdida na solidão de um céu onde as nuvems se aborrecem"

não é bem assim, deveria ter escrito
"sou uma nuvem perdida na solidão dum céu onde as estrelas se aborrecem"

Oxalá reencontre um céu repleto de amor e de tudo aquilo que lhe faz falta pra ser mais feliz.

Bem haja

malu disse...

grata pela atenção...já corrigi...

PS : se há coisa que me aborece é anonimatos e anónimos, que não têm coragem de se dar, e cobram o receber...

Certamente saberá, uma vez que corrigiu, de que anónimos falo, que sendo assim não são de todo anónimos, e que me deixaram neste estado...